03 Set

Câmaras ocultas nas casas de banho públicas

Seul, a capital da Coreia do Sul, compromete-se a efectuar verificações diárias nas casas de banho públicas, em busca de câmaras de filmar ocultas.

Câmaras ocultas em casas de banho e provadores têm se revelado um sério problema na Coreia do Sul, que relata mais de 6 000 casos desta natureza apenas no último ano. Há inclusive quem apelide estes acontecimentos de epidémicos.

Os vídeos são carregados para a Internet sem o conhecimento da vitima e difundidos por círculos ligados à pornografia. No inicio deste ano centenas de mulheres protestaram contra este crime, carregando mensagens com frases como “A minha vida não é o teu filme pornográfico”. Representantes deste movimento relatam que as mulheres da Coreia do Sul vivem em constante pânico de serem fotografadas ou filmadas sem o seu conhecimento pois 80% das vítimas deste crime, são mulheres.

 

 

Copyright GETTY IMAGES

Copyright GETTY IMAGES

Actualmente as casas de banho são apenas inspeccionadas mensalmente, reportou a agência Yonhap, no entanto, o pessoal responsável pela manutenção destas facilidades está agora obrigado a verificar a presença destes aparelhos de forma diária. Esta, no entanto é uma actividade é extremamente difícil de controlar, indica a polícia local, uma vez que os autores conseguem colocar as câmaras e retirá-las em apenas 15 minutos.

Embora mais de 5 400 pessoas tenham sido detidas, por crimes relacionados com câmaras ocultas, menos de 2% foram efectivamente condenados. A agência Yonhap declara ainda que os 50 funcionários do governo destacados especificamente para a pesquisa destes dispositivos não encontraram nenhum nos últimos 2 anos.