Atualidade Cibersegurança

Cibersegurança: O que acontece quando uma marca não se protege

As Tecnologias de Informação são a base de como todas as empresas modernas operam no dia-a-dia. Com isso, surge o fato incontestável de que implementar níveis adequados de cibersegurança é obrigatório e não-negociável.

Ataques frequentes utilizando a técnica de ransomware têm vindo a ser dirigidos a empresas a nível mundial, recorrendo a novas táticas evasivas e cada vez mais bem pensadas. As ferramentas tecnológicas, como é o caso da explosão da inteligência artificial com o ChatGPT, transformaram-se em alavancas para os cibercriminosos.

Os ciberataques podem, irremediavelmente, arruinar a reputação de uma empresa consolidada, resultado não só em perdas financeiras, como de clientes e parceiros.

Este foi o caso da CardioComm. A empresa canadiana que produz e comercializa soluções tecnológicas de monitorização cardíaca para hospitais e para o consumidor final, viu-se forçada a desconectar todos os seus dispositivos da redes após ter sido afetada por um ciberataque, o que fez com todos os serviços parassem por vários dias, prejudicando consequentemente a sua reputação juntos dos seus clientes.

Consequências de uma empresa desprotegida

A rápida resposta da empresa mencionada acima a desconectar todos os aparelhos do servidor, fez com que a informação de saúde dos seus clientes fosse salvaguardada. Contudo, existem outros problemas que surgem de uma organização estar desprotegida contra este tipo de ataques. Eis os principais:

1 – Divulgação de informação confidencial

Já foi mencionado acima e é, sem dúvida, o principal problema de um ciberataque. É também o problema que agrava todos os outros que mencionaremos de seguida.

2 – Perdas financeiras

Os ciberataques são caros! Nos EUA, o custo médio de uma única violação de dados é de 149$ mil, enquanto o custo médio global foi de 4,35$ milhões.

E estes números nem incluem pagamentos de ransomware, o dinheiro perdido com os clientes perdidos e os custos de reparação da rede, dos sistemas e dispositivos afetados.

3 – Reputação danificada

A confiança é um elemento essencial do relacionamento com o cliente. Se pensarmos bem, ninguém quer fazer negócio com uma empresa insegura.

É por isso que os ataques cibernéticos podem prejudicar a reputação de uma empresa e minar a confiança que os clientes depositam na mesma. Isso, por sua vez, leva a:

  • diminuição de clientes atuais e potenciais
  • diminuição das vendas
  • redução dos lucros

4 – Consequências legais

Não esquecer que qualquer negócio que passe por um ciberataque, terá de passar por um processo legal obrigatório para certificar a manutenção dos seus dados no futuro.

Para além disso, as leis de proteção de dados e privacidade exigem que as organizações giram a segurança de todos os dados pessoais que possuem – sejam dos seus colaboradores ou dos seus clientes. Caso esses dados sejam comprometidos, acidental ou deliberadamente, e não tenham sido tomadas as medidas de segurança adequadas, a empresa enfrentar multas e sanções regulatórias.

Conheça aqui também outros ciberataques de larga escala registados, entre os quais: Vodafone, FCPorto e Sporting, Parlamento Europeu, IKEA.

One thought on “Cibersegurança: O que acontece quando uma marca não se protege”

Comments are closed.

×